As estratégias que os chefes dos recursos humanos utilizam para recrutar e fidelizar os colaboradores estão mudando, caraterizadas por novas tendências que se transformam e enriquecem cada dia. É sempre mais essencial estar informado sobre as novas tendências para não perder os melhores talentos.

Nesta visão, o ano de 2019 implica uma série de novos desafios ligados ao processos de recrutamento e seleção. Eis as cinco principais tendências em âmbito RH que vão dominar o próximo ano:

Inteligência artificial ao serviço dos RH

No âmbito dos recursos humanos a IA oferece muitas oportunidades interessantes, porque consegue analisar e gerenciar os dados de forma eficaz e eficiente, permitindo ao ser humano valorizar seu tempo com acções de alto potencial. O alvo é deixar desenvolver à máquina as partes do processo com baixo valor e que requerem muito tempo. A IA pode fazer a diferença sobretudo nas atividades de pré-seleção, com a análise semântica automatizada dos currículos e dos perfis no banco de dados, e nas de entrevista, com questionários e entrevistas virtuais. O utilizo da Inteligência Artificial permite simplificar e automatizar muitos processos, consentindo aos chefes RH concentrar-se na estratégia e planejamento, aos colaboradores dedicar-se a atividades mais estimulantes e gratificantes e as empresas criar valor adicional.

Engajamento de colaboradores

O tema do engajamento do colaborador é entre os mais discutidos dos últimos 5 anos. Baseia-se na confiança, integridade e uma comunicação bidirecional entre empresa e empregado. Esta abordagem influencia positivamente o sucesso da empresa, contribuindo ao desempenho corporativo e individual, consequentemente à produtividade e bem estar do colaborador. Várias empresas estão aplicando esta abordagem, com o alvo de valorizar os talentos e redefinir a cultura corporativa.

Bem-estar dos colaboradores

Quem busca um emprego vê na forma em que uma empresa oferece reconhecimento aos colaboradores o reflexo dos valores que a inspiram. Por isso, um salário adequado é importante, mas hoje em dia as pessoas querem um ambiente de trabalho colaborativo, que una o bem estar mental e emotivo. Possibilidade de carreira, estabilidade da empresa, relações humanas positivas, qualidade dos ambientes de trabalho são elementos centrais para um funcionário, influenciando seu bem estar psicofísico e, consequentemente, a produtividade na empresa. Diferentemente do salário, que é um só um aspecto de “transação”, esses assuntos são fundamentais para manter os melhores talentos.

Seleção às Cegas

O recrutamento e a seleção são processos que incluem a subjetividade. Isto significa que não é simples fazer a melhor escolha quando se buscam novos talentos. A Seleção às Cegas é o novo processo que tenta levar o anonimato e objetividade nos processos RH, excluindo fatores discriminatórios como idade, sexo, raça e formação. O alvo da seleção às cegas é avaliar os candidatos em base com suas competências profissionais e habilidades pessoais. Nesta prospectiva, os currículos tradicionais e as cartas de apresentação vão ser substituídas por novas técnicas de contratação que garantam anonimato nos processos de recrutamento e seleção e consintam criar um ambiente de trabalho diversificado.

Mapeamento das competências e soft skills

Mapear as competências internas vai ser fundamental para compreender quando depender de professionais internos e quando é necessário se dirigir a terceiros. Ao mesmo tempo, o mapeamento consente analisar o desempenho e compreender quais percursos de carreiras são mais adequados para cada recurso. Neste processo estão sempre mais importantes as soft skills em comparação com as competências técnicas. Além disso, em 2019 vai ser particularmente importante a formação. As empresas devem ser capazes de desfruta-la para o employer branding e aquisição de talentos. Na verdade, um talento em busca de novo emprego pode decidir entre diferentes ofertas de emprego em base com a presença dum bom percurso formativo.